"História da Justiça no Espírito Santo” é um livro com dois volumes, inspirado nas Notas sobre o Supremo Tribunal: Império e República, do ministro Celso de Mello. Ao receber a obra do editor Antonio de Pádua Gurgel, o ministro Celso de Mello demonstrou grande entusiasmo e afirmou que um trabalho desse nível deveria ser disponibilizado para todas as bibliotecas do Brasil: “Trata-se de uma obra que contribui para se conhecer melhor o início da colonização de nosso País”, disse.

 

No primeiro volume, Do Tribunal da Inquisição ao Tribunal de Justiça, o historiador Estilaque Ferreira dos Santos resgata em 492 páginas o início da atuação da Justiça em terras capixabas, que coincide com a chegada da primeira visita da Inquisição no Brasil. Durante dois anos, Estilaque pesquisou sobre o assunto na Torre do Tombo e resgatou, entre outras preciosidades, 29 processos da época da Inquisição no Espírito Santo. As acusações incluíam uso de moeda falsa, bigamia, sodomia, judaísmo, assédio sexual, pedofilia, feitiçaria e blasfêmia, entre outros.

 

A petição de Rui Barbosa ao Supremo Tribunal Federal em favor do Espírito Santo na questão de limites com Minas Gerais é um dos pontos altos do segundo volume (388 páginas), que também traz um texto de Adilson Vilaça sobre a questão do Contestado bem como informações sobre a história e o funcionamento do Poder Judiciário no Espírito Santo.

História da Justiça no Espírito Santo volume I e II

R$ 88,00Preço